Coordenação

JOAQUIM CARDADOR DOS SANTOS

Presidente do Conselho de Administração

 

MIRIEME FERREIRA

Coordenadora Técnica

VER MAIS
Ler + Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis
Ler + Coordenação
Ler + Rede de Cidades Saudáveis da OMS

Organograma
Órgão deliberativo, constituído por todos os associados. Integram, atualmente, a mesa da assembleia os municípios de Viana do Castelo, Odivelas e Miranda do Corvo.
Composto por um técnico de cada município associado.
Órgão executivo composto por cinco municípios eleitos pela assembleia intermunicipal. Actualmente composto pelo Seixal, Lisboa, Montijo, Oeiras e Palmela.
Estatutos

A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis rege-se pelos estatutos publicados no Diário da República – III Série (N.º 5/98 de 7 de janeiro de 1998). Estes estatutos sofreram alterações em escritura a dezembro de 2015, incluindo a alteração da designação da Associação.

DOWNLOAD DOS ESTATUTOS

Parcerias

Porque trabalhar em rede significa, entre outras coisas, potenciar as parcerias existentes, a Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis consolida-se no alargado leque de parceiros locais e (...)
VER MAIS
Alguns membros RPCS


VER MAIS



"UMA CIDADE SAUDÁVEL É AQUELA QUE ESTÁ CONTINUAMENTE A CRIAR E A DESENVOLVER OS SEUS AMBIENTES FÍSICO E SOCIAL, E A EXPANDIR OS RECURSOS COMUNITÁRIOS QUE PERMITEM ÀS PESSOAS APOIAREM-SE MUTUAMENTE NAS VÁRIAS DIMENSÕES DA SUA VIDA E NO DESENVOLVIMENTO DO SEU POTENCIAL MÁXIMO."


GOLDSTEIN E KICKBUSCH (1996)

ÚLTIMOS PROJETOS

Odivelas
Semana Europeia do Teste VIH-Hepatites (Plano Estratégico Concelhio de Prevenção das Toxicodependências - PECPT)

O QUE É?

Projeto integrado no Plano Estratégico Concelhio de Prevenção das Toxicodependências (PECPT), na área da Prevenção e Deteção Precoce das Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST). Em implementação anual desde 2013.

 

O QUE FAZ?

Ação de sensibilização à comunidade alargada do concelho de Odivelas sobre Prevenção e Deteção Precoce das Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST), com particular destaque para o VIH. Inclui a realização de testes rápidos ao VIH e a outras Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST’s), por via do estacionamento das Unidades Móveis da UCC Nostra Pontinha e da LPCS em determinadas zonas do concelho. São feitos atendimentos individuais e cedência de materiais (in)formativos e pedagógicos sobre o tema, incluindo preservativos (masculinos e femininos). Esta iniciativa realiza-se anualmente na última semana de novembro de cada ano e, desde 2018, também no mês de maio de cada ano.

 

A QUEM SE DESTINA?

Comunidade alargada do concelho de Odivelas.

 

QUAIS AS PARCERIAS?

Câmara Municipal de Odivelas, ACES Loures – Odivelas / UCC Nostra Pontinha e Liga Portuguesa Contra a Sida

 

QUE RESULTADOS FORAM ATINGIDOS?

Incremento da intervenção concelhia em matéria de Prevenção e Deteção Precoce das Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST).
Avaliação muito positiva por parte das entidades promotoras, face às dezenas de testes rápidos realizados anualmente.

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA?

Câmara Municipal de Odivelas
Gabinete de Saúde
T: 219 320 970
E: gsi@cm-odivelas.pt

Oeiras
Programa Hortas Urbanas do Município de Oeiras

O QUE É?

O programa de hortas urbanas de Oeiras tem como principais objetivos incentivar o uso de práticas agrícolas tradicionais e o modo de produção biológico como atividade de lazer;sensibilizar a população para o respeito e defesa do ambiente; potenciar a biodiversidade e a estrutura ecológica do concelho. O programa tem duas componentes: hortas urbanas e hortas nas escolas.

 

O QUE FAZ?

A atividade agrícola de subsistência, materializada sob a forma de hortas, é uma atividade que permite uma melhoria da qualidade ambiental. O Programa potencia o uso de práticas agrícolas tradicionais e o modo de produção biológico/tradicional como forma de promover o desenvolvimento sustentável, no sentido de orientar e harmonizar as alterações resultantes dos processos sociais, económicos e ambientais e promover a produção de espécies vegetais/hortícolas mais saudáveis.

 

Este programa contempla ainda uma componente educativa, apresentando em espaço próprio ações de formação sobre técnicas de agricultura biológica/tradicional, de
manutenção de espaço público, de trabalho comunitário, de compostagem e de promoção ambiental. Com esta iniciativa, pretende-se, igualmente, estimular práticas de cultivo que aproximem o cidadão da natureza e no respeito pelos equilíbrios ambientais.

 

A QUEM SE DESTINA?

As hortas urbanas são dirigidas a munícipes que não têm espaço de cultivo e que tenham interesse em cultivar. As hortas nas escolas são dirigidas à comunidade escolar, sendo que o Município disponibiliza às escolas que dispõem de espaço de horta e que o utilizam regulamente apoio técnico para a realização dos trabalhos de horticultura, visitas de estudo à Horta da Quinta Real de Caxias e ainda ações de formação para professores (participação limitada).

 

Os interessados podem candidatar-se a talhões em hortas comunitárias implementadas em terrenos municipais. Estes terrenos estão, por regra, inseridos em espaços verdes e de lazer e estão equipados com abrigos de ferramentas, compostores e pontos de água. Para efeitos de participação é efetuado um processo de candidatura, onde os participantes são selecionados em função da proximidade da sua residência à horta e pela ordem de inscrição. Para oficializar esta cedência, é firmado com cada horticultor um acordo de utilização.

 

Todos os horticultores recebem formação prática e teórica sobre agricultura biológica e sobre o regulamento de utilização dos espaços, pretendendo-se o cumprimento das técnicas de agricultura sustentável.

 

QUAIS AS PARCERIAS?

Câmara Municipal de Oeiras, Estabelecimentos escolares, instituições/associações de caráter social, ambiental ou pedagógico.

 

QUE RESULTADOS FORAM ATINGIDOS?

Criado em 2012, atualmente, em 2019, existem no concelho cinco hortas onde são acompanhados cerca de 190 hortelões bem como realizadas formações aos candidatos para adquirirem competências na prática de agricultura biológica/tradicional e de cidadania nas hortas urbanas.

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA?

Câmara Municipal de Oeiras
Divisão de Gestão Ambiental
T: 210 976 530
E: dga@cm-oeiras.pt

 

VER MAIS
57
MUNICÍPIOS
SAUDÁVEIS
.
Alfândega da Fé
.
Almada
.
Almodôvar
.
Alvito
.
Amadora
.
Amares
.
Avis
.
Azambuja
.
Barrancos
.
Barreiro
.
Beja
.
Braga
.
Bragança
.
Castro Marim
.
Coimbra
.
Cuba
.
Figueira da Foz
.
Golegã
.
Gondomar
.
Guarda
.
Lagoa (Açores)
.
Lagoa (Algarve)
.
Lisboa
.
Loulé
.
Loures
.
Lourinhã
.
Lousã
.
Maia
.
Matosinhos
.
Miranda do Corvo
.
Monchique
.
Monção
.
Montijo
.
Odemira
.
Odivelas
.
Oeiras
.
Palmela
.
Ponta Delgada
.
Portimão
.
Porto
.
Porto Santo
.
Póvoa de Lanhoso
.
Ribeira Grande
.
Santo Tirso
.
Seixal
.
Serpa
.
Sesimbra
.
Setúbal
.
Soure
.
Tábua
.
Torres Vedras
.
Valongo
.
Viana do Alentejo
.
Viana do Castelo
.
Vidigueira
.
Vila Franca de Xira
.
Vila Real
 Um município saudável é 
 inclusivo, sensível e para 
 todos os cidadãos 
A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis é uma associação que tem como missão apoiar a divulgação, implementação e desenvolvimento do projeto Cidades Saudáveis nos municípios que pretendam assumir a promoção da saúde como uma prioridade da agenda dos decisores políticos.

Ser Saudável

Alimentação Saudável

 

Somos o que comemos, é o que nos diz a sabedoria popular, e não podia ser mais verdade. Os alimentos que ingerimos têm um forte impacto na nossa saúde e bem-estar.

 

Uma alimentação saudável pode defender-nos de doenças como a diabetes, obesidade, doenças cardiovasculares e alguns tipos de cancro. Manter uma alimentação saudável é uma tarefa relativamente simples.

 

ALGUNS CONSELHOS A SEGUIR:

 

> Faça entre 5 a 6 refeições durante o dia.

 

> Comece o dia com um bom pequeno-almoço que deve conter cereais, lacticínios e/ou fruta.

 

> A meio da manhã, faça uma pausa e coma uma peça de fruta, ou um sumo natural, ou um iogurte magro.

 

> Quando estiver a preparar o seu prato do almoço e do jantar, lembre-se que ele deve ser composto com metade de legumes e verduras, um quarto de hidratos de carbono (batata, massa, arroz, etc.), e um quarto com proteína (carne ou peixe). Coma sopa antes do prato principal.

 

> A meio da tarde faça um lanche.

 

> Coma fruta, legumes e verduras todos os dias. Prefira as frutas, legumes e verduras da época.

 

> Ao cozinhar legumes, prefira o sistema a vapor, pois este ajuda a preservar melhor os nutrientes. Se utilizar água, evite cozinhar os alimentos com água em abundância, uma vez que alguns minerais e vitaminas são desperdiçados neste processo e utilize essa água para cozinhar outros alimentos.

 

> Retire sempre a pele das aves, antes de as cozinhar. A pele das aves é muito rica em gorduras que aumentam o colesterol e as calorias.

 

> Evite os fritos em geral. Prefira os alimentos cozidos, assados sem adição de gorduras e grelhados.

 

> Evite a ingestão de produtos processados como salsichas, salames, presuntos, mortadelas, fiambre e patês.

 

> Prefira margarina vegetal ou azeite, contêm menos gorduras saturadas e menos colesterol.

 

> Sempre que possível coma carnes brancas,  frango ou peixe (assado ou cozido), evite as carnes vermelhas.

 

> Diminua o sal nos alimentos, utilize apenas o necessário ou utilize ervas aromáticas.

 

> Evite bebidas alcoólicas e refrigerantes. Opte por sumos de fruta naturais.

 

> Evite o consumo exagerado de açúcar.

 

> Ingira cerca de 1,5 litros de água diariamente. A água melhora o funcionamento do intestino, hidrata o organismo, facilita a filtração do sangue e desintoxica o organismo.

 

> Procure fazer exercício físico regularmente.

 

> É muito importante que mastigue bem os alimentos. Cada garfada deve ser mastigada cerca de 20 vezes.