Coordenação

JOAQUIM CARDADOR DOS SANTOS

Presidente do Conselho de Administração

 

MIRIEME FERREIRA

Coordenadora Técnica

VER MAIS
Ler + Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis
Ler + Coordenação
Ler + Rede de Cidades Saudáveis da OMS

Organograma
Órgão deliberativo, constituído por todos os associados. Integram, atualmente, a mesa da assembleia os municípios de Viana do Castelo, Odivelas e Miranda do Corvo.
Composto por um técnico de cada município associado.
Órgão executivo composto por cinco municípios eleitos pela assembleia intermunicipal. Actualmente composto pelo Seixal, Lisboa, Montijo, Oeiras e Palmela.
Estatutos

A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis rege-se pelos estatutos publicados no Diário da República – III Série (N.º 5/98 de 7 de janeiro de 1998). Estes estatutos sofreram alterações em escritura a dezembro de 2015, incluindo a alteração da designação da Associação.

DOWNLOAD DOS ESTATUTOS

Parcerias

Porque trabalhar em rede significa, entre outras coisas, potenciar as parcerias existentes, a Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis consolida-se no alargado leque de parceiros locais e (...)
VER MAIS
Alguns membros RPCS


VER MAIS



"UMA CIDADE SAUDÁVEL É AQUELA QUE ESTÁ CONTINUAMENTE A CRIAR E A DESENVOLVER OS SEUS AMBIENTES FÍSICO E SOCIAL, E A EXPANDIR OS RECURSOS COMUNITÁRIOS QUE PERMITEM ÀS PESSOAS APOIAREM-SE MUTUAMENTE NAS VÁRIAS DIMENSÕES DA SUA VIDA E NO DESENVOLVIMENTO DO SEU POTENCIAL MÁXIMO."


GOLDSTEIN E KICKBUSCH (1996)

ÚLTIMOS PROJETOS

Soure
Projeto piloto de Compostagem em Soure

O QUE É?

É um projeto que visa intervir diretamente junto das escolas, IPSS do concelho e num conjunto de 30 famílias, cujo objetivo principal é fomentar a compostagem e diminuir o lixo indiferenciado, produzido por entidades e famílias, contribuindo assim para uma maior defesa do meio ambiente. Espera-se que o projeto gere comportamentos que fiquem enraizados na comunidade que tenham um efeito multiplicador.

 

O QUE FAZ?

Intervém nas escolas, IPSS e famílias, através de ações de sensibilização e disponibilização de compostores, para que todos os envolvidos tenham uma atitude proactiva relativamente a esta temática. Espera-se que as escolas e IPSS, que produzem diariamente centenas de refeições em todo o concelho, reduzam drasticamente a quantidade de lixo indiferenciado produzido e contribuam assim, através da compostagem de restos alimentares, para uma melhoria do meio ambiente.

Igualmente, espera-se que as 30 famílias participantes neste projeto piloto, também alcancem o objetivo de diminuir a quantidade de lixo indiferenciado, contribuindo para o mesmo efeito.

 

A QUEM SE DESTINA? 

Escolas, IPSS e 30 familias em projeto piloto.

 

QUE RESULTADOS FORAM ATINGIDOS?

Ainda não conseguimos medir resultados, uma vez que o projeto ainda está em fase de implementação.

 

QUAIS AS PARCERIAS?

Câmara Municipal de Soure, Juntas de Freguesia, Agrupamento de Escolas de Soure, Instituto Pedro Hispano.

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA? 

Câmara Municipal de Soure
T: 239 506 550
E: geral@cm-soure.pt

 

Soure
Regime de Fruta Escolar

O QUE É?

É uma iniciativa no âmbito europeu que pretende reforçar as práticas alimentares mais saudáveis e capacitar as crianças e famílias para a adoção de competências que levem a um consumo de fruta em substituição de “lanches” de fraca qualidade alimentar.

 

O QUE FAZ?

Recorre-se à distribuição gratuita de uma peça de fruta duas vez por semana, pretendendo melhorar a qualidade nutricional da oferta alimentar em meio escolar, contribuindo para reduzir o risco de doenças crónicas associadas à obesidade e reforçar a aquisição de competências nas áreas da educação alimentar e da saúde em contexto escolar.

Dinamização de jogos pedagógicos nas escolas com os alunos e Workshops de alimentação saudável para as crianças e pais.

 

A QUEM SE DESTINA? 

Alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico e por opção do Município, crianças do Pré-Escolar.

 

QUE RESULTADOS FORAM ATINGIDOS?

Mudança nos hábitos alimentares: maior cuidado no consumo de fruta, legumes e alimentos biológicos, assim como, a redução do consumo de sal, pelas famílias.

 

QUAIS AS PARCERIAS?

Câmara Municipal de Soure, Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas – IFAP.

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA? 

Câmara Municipal de Soure
Serviços Educativos
T: 239 506 550 Ext: 373/374
E: educacao@cm-soure.pt

 

VER MAIS
55
MUNICÍPIOS
SAUDÁVEIS
.
Alfândega da Fé
.
Almada
.
Almodôvar
.
Alvito
.
Amadora
.
Avis
.
Azambuja
.
Barrancos
.
Barreiro
.
Beja
.
Braga
.
Bragança
.
Castro Marim
.
Coimbra
.
Cuba
.
Figueira da Foz
.
Golegã
.
Gondomar
.
Guarda
.
Lagoa (Açores)
.
Lagoa (Algarve)
.
Lisboa
.
Loulé
.
Loures
.
Lourinhã
.
Lousã
.
Matosinhos
.
Miranda do Corvo
.
Monchique
.
Monção
.
Montijo
.
Odemira
.
Odivelas
.
Oeiras
.
Palmela
.
Ponta Delgada
.
Portimão
.
Porto
.
Porto Santo
.
Póvoa de Lanhoso
.
Ribeira Grande
.
Santo Tirso
.
Seixal
.
Serpa
.
Sesimbra
.
Setúbal
.
Soure
.
Tábua
.
Torres Vedras
.
Valongo
.
Viana do Alentejo
.
Viana do Castelo
.
Vidigueira
.
Vila Franca de Xira
.
Vila Real
 Um município saudável é 
 inclusivo, sensível e para 
 todos os cidadãos 
A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis é uma associação que tem como missão apoiar a divulgação, implementação e desenvolvimento do projeto Cidades Saudáveis nos municípios que pretendam assumir a promoção da saúde como uma prioridade da agenda dos decisores políticos.


^
v
PROJETOS

Percursos de Natureza

 

O QUE É?

O projeto de Serpa consubstanciou-se no estudo de implementação e instalação de uma rede de percursos aquáticos, pedestres, equestres e de BTT no concelho. Criaram-se quatro rotas de BTT; duas rotas pedestres em zona rural; uma rota pedestre no centro urbano; um percurso equestre e um percurso de canoagem.

 

O QUE FAZ?

Pretendeu-se valorizar e potenciar os recursos endógenos e diversificar a oferta turística desta área de cooperação como um todo, apostando num turismo cultural e de interior, promovendo produtos ligados à proteção do ambiente e às potencialidades do interior, valorizando e difundindo o património existente.

 

Percursos

Com 3 propostas distintas, estes percursos levam-no em busca não só dos ecossistemas, mas de uma história de relações entre o Homem e a natureza.


PR1 – SRP – Trilho da Azenha da Ordem
A partir do Largo Catarina Eufémia, seguir para norte e virar pela Rua da Abegoaria que levará para fora do núcleo urbano, passando pelo pavilhão desportivo municipal. Cruzar a circular externa e entrar no caminho de terra em direção ao Guadiana, por entre os campos de cultivo, caminho este que anteriormente utilizado para transporte das farinhas transformadas no moinho da Azenha da Ordem.
Distância: 13kms
Duração: 3h30
Tipo de percurso: circular


PR2 – SRP – Moinhos Velhos do Guadiana – Brinches
O percurso tem início no largo principal (Praça da República), conhecido localmente por Largo do Vale. Com o tema dos Moinhos Velhos do Guadiana este é um percurso fácil que percorre maioritariamente caminhos agrícolas ainda hoje bastante utilizados.
Distância: 9,7kms
Duração: 2h20
Tipo de percurso: circular
Desnível acumulado: + 146 m


PR3 – SRP – Pelos cainhos do contrabando – Vila Verde de Ficalho
Este percurso circular e acessível, leva-o à descoberta da fronteira aqui tão perto, percorrendo os caminhos outrora utilizados pelos contrabandistas. Os antigos moinhos em conjunto com o ecossistema do rio Chança dão a este percurso uma riqueza impar.
Distância: 12,6kms
Duração: 2h50
Tipo de percurso: circular
Desnível acumulado: + 200 m


Percurso Urbano – Das muralhas e casas brancas aos cantes até às tantas – Serpa
Este percurso leva-o à descoberta dos principais pontos de interesse do núcleo amuralhado de Serpa. Terá oportunidade de descobrir o rico património existente no interior e em torno das muralhas. Facilmente se irá aperceber da diversidade de estilos e influências que tornam este património tão rico e este passeio numa experiência a não perder.
Distância: 2,7kms
Tipo de percurso: circular


Centro de BTT

Neste centro de BTT encontra à sua disposição 4 percursos que o transportam para os diferentes ambientes e paisagens existentes no concelho de Serpa. Os percursos criados admitem entre si, várias ligações e combinações, oferecendo assim uma panorâmica de toda a região.


P1 – Verde (Nível de dificuldade: Fácil)
Este percurso explora os caminhos a Oeste da cidade onde os campos de cultivo se erguem nas grandes planícies existentes. Percorrendo estradas de terra batida, no início do percurso avista-se o Rio Guadiana ao fundo do vale. O regresso faz-se com a bonita cidade de Serpa como pano de fundo.


P2 – Azul (Nível de dificuldade: Moderado)
Saindo em direção ao Guadiana este percurso atravessa os campos agrícolas para descer ao fundo do vale até à Azenha da Ordem. Daqui e regressando às planícies, dirige-se à ermida de S. Brás e depois a Santa Iria, onde encontrando os percursos 3 e 4, inicia o regresso à cidade de Serpa.


P3 – Vermelho (Nível de dificuldade: Difícil)
Este longo percurso leva-nos à descoberta das planícies Norte e Este deste território. Começando em conjunto com o percurso 4 separa-se do mesmo após a barragem de Serpa. Passa por A-do-Pinto para depois de se juntar novamente ao referido percurso regressar a Serpa.


P4 – Preto (Nível de dificuldade: Muito Difícil)
Seguindo com o percurso vermelho até à Ribeira de Enxoé, este é um percurso muito longo e difícil que percorre toda a largura deste concelho chegando às serras de Malpique, Adiça e Ficalho.


Canoagem

Percorrer o guadiana ao ritmo das águas, visitando e descobrindo os muitos moinhos existentes nas suas margens é o desafio que aqui deixamos.
Esta secção do Grande Rio do Sul (rio Guadiana) revela-nos uma beleza ímpar, a simplicidade da Natureza em território pouco intervencionado pelo Homem, fazem deste troço uma espécie de regresso às origens, à Natureza no seu estado mais puro.

Percurso Equestre

Na companhia de um dos mais velhos amigos do homem, o cavalo, percorra os caminhos outrora percorridos carregando a mais fina farinha.
Recorrendo às ligações entre a cidade e o rio este percurso caracteriza-se pela sua acessibilidade e formato de 8. Deste modo e estando a secção com alguma complexidade técnica no loop inferior, adapta-se com facilidade a todos os tipos de praticante.

P1
Este percurso é em grande parte comum com o percurso Verde 1 do centro de BTT exceto no loop inferior. Saindo de Serpa dirige-se ao Monte da Lobata onde se inicia o loop que nos leva até ao rio Guadiana e às ruinas da Azenha dos Machadinhos.

 

A QUEM SE DESTINA?

À população em geral

 

QUE RESULTADOS FORAM ATINGIDOS?

A totalidade da comunidade, conforme a tipologia das ações programadas.

 

QUAIS AS PARCERIAS?

Câmara Municipal de Serpa, Associações e Clubes de BTT do concelho.

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA?

Câmara Municipal de Serpa
Unidade Municipal de Cultura Desporto e Juventude
T: 284 540 124
E: geral@cm-serpa.pt