Coordenação

JOAQUIM CARDADOR DOS SANTOS

Presidente do Conselho de Administração

 

MIRIEME FERREIRA

Coordenadora Técnica

VER MAIS
Ler + Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis
Ler + Coordenação
Ler + Rede de Cidades Saudáveis da OMS

Organograma
Órgão deliberativo, constituído por todos os associados. Integram, atualmente, a mesa da assembleia os municípios de Viana do Castelo, Odivelas e Miranda do Corvo.
Composto por um técnico de cada município associado.
Órgão executivo composto por cinco municípios eleitos pela assembleia intermunicipal. Actualmente composto pelo Seixal, Lisboa, Montijo, Oeiras e Palmela.
Estatutos

A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis rege-se pelos estatutos publicados no Diário da República – III Série (N.º 5/98 de 7 de janeiro de 1998). Estes estatutos sofreram alterações em escritura a dezembro de 2015, incluindo a alteração da designação da Associação.

DOWNLOAD DOS ESTATUTOS

Parcerias

Porque trabalhar em rede significa, entre outras coisas, potenciar as parcerias existentes, a Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis consolida-se no alargado leque de parceiros locais e (...)
VER MAIS
Alguns membros RPCS


VER MAIS



"UMA CIDADE SAUDÁVEL É AQUELA QUE ESTÁ CONTINUAMENTE A CRIAR E A DESENVOLVER OS SEUS AMBIENTES FÍSICO E SOCIAL, E A EXPANDIR OS RECURSOS COMUNITÁRIOS QUE PERMITEM ÀS PESSOAS APOIAREM-SE MUTUAMENTE NAS VÁRIAS DIMENSÕES DA SUA VIDA E NO DESENVOLVIMENTO DO SEU POTENCIAL MÁXIMO."


GOLDSTEIN E KICKBUSCH (1996)

ÚLTIMOS PROJETOS

Valongo
Horta-à-porta – Hortas Biológicas da Região do Porto

O QUE É?

É um projeto que visa a articulação e disponibilidade de várias entidades, de modo a viabilizar uma estratégia comum para a promoção da Compostagem Caseira, da criação de Hortas e da promoção da Agricultura Biológica na Região do Porto.

 

O QUE FAZ?

Disponibiliza-se aos utilizadores um talhão de terreno cultivável, inserido num espaço vedado e com ponto de água de utilização comum disponível, acesso a local coletivo de armazenamento de pequenas alfaias agrícolas e ação de formação em agricultura biológica.

 

A QUEM SE DESTINA?

Munícipes que se escrevem na base de dados da LIPOR, residam nas imediações da Horta e tenham frequentado uma ação de formação obrigatória em Agricultura Biológica, de 12 horas e reciclagens anuais com um mínimo de 1,5 horas.

 

QUE RESULTADOS FORAM ATINGIDOS?

Ao longo de 4 anos de existência do projeto cerca de 97 utilizadores obtiveram formação em agricultura biológica, tendo os 49 talhões afetos ao projeto mantido uma taxa de ocupação superior a 96%, permitindo o cultivo de hortícolas e plantas aromáticas e medicinais, através de práticas de agricultura biológica, compostagem caseira e do consumo sustentável.
Com a implantação deste projeto foram ainda criadas condições para aumentar o convívio e ajuda entre os/as utilizadores/as, enquanto usufruem do contacto com a natureza e praticam exercício físico com todas as vantagens que dai advém.

 

QUAIS AS PARCERIAS?

Câmara Municipal de Valongo, LIPOR – Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto.

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA?

Câmara Municipal de Valongo
Divisão de Ambiente
Av. 5 de Outubro, 160
4440-503 Valongo
T: 224 227 900 / 911 101 630
E: ambiente@cm-valongo.pt
S: www.cm-valongo.pt
F: facebook.com/municipio.valongo

Valongo
Regime da Fruta Escolar

O QUE É?

O Regime de Fruta Escolar resulta duma iniciativa da UE para promover hábitos saudáveis e uma dieta equilibrada entre as crianças, tendo em vista a redução da obesidade infantil na Europa (cerca de 22 milhões de crianças têm excesso de peso na UE e, destas, 5 milhões são obesas).
Este regime consiste na distribuição gratuita de frutas e produtos hortícolas às crianças nos estabelecimentos de ensino considerando que a inclusão de frutas e legumes na dieta alimentar pode desempenhar um papel importante no combate à obesidade.
Programa em curso no Município desde novembro de 2016.

 

O QUE FAZ?

Os objetivos gerais desta ação são as seguintes:
- Promover hábitos de consumo de alimentos benéficos para a saúde das populações mais jovens e para a redução dos custos sociais e económicos associados a regimes alimentares menos saudáveis;
- Incentivar o consumo de frutas e legumes nas crianças;
- Reduzir a obesidade infantil.

 

A QUEM SE DESTINA?

Alunos/as que frequentam a educação pré-escolar e o 1.º ciclo dos agrupamentos de escolas da rede pública.

 

QUE RESULTADOS FORAM ATINGIDOS?

Em cada ano letivo, são envolvidos os 6 agrupamentos escolares concelhios, envolvendo-se desta forma cerca de 3000 crianças no regime de fruta escolar. Com o alargamento ao ensino pré-escolar, este número aumentou para aproximadamente 4300 crianças.

 

QUAIS AS PARCERIAS?

Câmara Municipal de Valongo, Instituto de Financiamento de Agricultura e Pescas (IFAP), Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE), Agrupamento de Escolas concelhias

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA?

Câmara Municipal de Valongo
Divisão de Educação, Saúde e Ação Social – Intervenção Educativa
Av. 5 de Outubro, 160
4440-503 Valongo
T: 224 227 900 / 911 021 575
E: iniciativas.educacao@cm-valongo.pt
S: www.cm-valongo.pt
F: facebook.com/municipio.valongo

VER MAIS
55
MUNICÍPIOS
SAUDÁVEIS
.
Alfândega da Fé
.
Almada
.
Almodôvar
.
Alvito
.
Amadora
.
Avis
.
Azambuja
.
Barrancos
.
Barreiro
.
Beja
.
Braga
.
Bragança
.
Castro Marim
.
Coimbra
.
Cuba
.
Figueira da Foz
.
Golegã
.
Gondomar
.
Guarda
.
Lagoa (Açores)
.
Lagoa (Algarve)
.
Lisboa
.
Loulé
.
Loures
.
Lourinhã
.
Lousã
.
Matosinhos
.
Miranda do Corvo
.
Monchique
.
Monção
.
Montijo
.
Odemira
.
Odivelas
.
Oeiras
.
Palmela
.
Ponta Delgada
.
Portimão
.
Porto
.
Porto Santo
.
Póvoa de Lanhoso
.
Ribeira Grande
.
Santo Tirso
.
Seixal
.
Serpa
.
Sesimbra
.
Setúbal
.
Soure
.
Tábua
.
Torres Vedras
.
Valongo
.
Viana do Alentejo
.
Viana do Castelo
.
Vidigueira
.
Vila Franca de Xira
.
Vila Real
 Um município saudável é 
 inclusivo, sensível e para 
 todos os cidadãos 
A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis é uma associação que tem como missão apoiar a divulgação, implementação e desenvolvimento do projeto Cidades Saudáveis nos municípios que pretendam assumir a promoção da saúde como uma prioridade da agenda dos decisores políticos.


^
v
Coordenação

RESPONSÁVEL POLÍTICO

Ana Maria dos Santos de Gouveia, vice-presidente da Câmara Municipal de Miranda do Corvo

 

COORDENADOR TÉCNICO

 

 

PESSOAL AFETO

Ana Patrícia Cortês, técnica de Planeamento Regional e Urbano

 

A Câmara Municipal de Miranda do Corvo não dispõe de uma estrutura rígida com as funções de Gabinete Município Saudável, considerando que se trata de um Município de pequena dimensão, com cerca de 13.000 habitantes.
A dinamização do projeto da Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis e o trabalho do Gabinete Município Saudável, desenvolve-se em articulação entre os vários serviços da Câmara Municipal de Miranda do Corvo, com intervenção no âmbito do mesmo.
Este trabalho é desenvolvido a tempo parcial por uma técnica cuja principal função é a de Planeamento Regional e Urbano nesta Câmara Municipal.