Coordenação

 

JOAQUIM CARDADOR DOS SANTOS

Presidente do Conselho de Administração

 

 ----------------------------------------------

 

MIRIEME FERREIRA

Coordenadora Técnica

VER MAIS
Ler + Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis
Ler + Coordenação
Ler + Rede de Cidades Saudáveis da OMS

Organograma
Órgão deliberativo, constituído por todos os associados. Integram, atualmente, a mesa da assembleia os municípios de Viana do Castelo, Odivelas e Miranda do Corvo.
Composto por um técnico de cada município associado.
Órgão executivo composto por cinco municípios eleitos pela assembleia intermunicipal. Actualmente composto pelo Seixal, Lisboa, Montijo, Oeiras e Palmela.
Estatutos

A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis rege-se pelos estatutos publicados no Diário da República – III Série (N.º 5/98 de 7 de janeiro de 1998). Estes estatutos sofreram uma modificação no artigo 3 e no n.º1 do artigo 19, aprovados em Assembleia Intermunicipal, a 9 de maio de 2011.

DOWNLOAD DOS ESTATUTOS

Parcerias

Porque trabalhar em rede significa, entre outras coisas, potenciar as parcerias existentes, a Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis consolida-se no alargado leque de parceiros locais e (...)
VER MAIS
Alguns membros RPCS


VER MAIS
ler + Membros da Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis
ler + Como reconhecer um município saudável?
ler + Como aderir à Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis?
ler + Que ganhos advêm da adesão a esta rede?



"UMA CIDADE SAUDÁVEL É AQUELA QUE ESTÁ CONTINUAMENTE A CRIAR E A DESENVOLVER OS SEUS AMBIENTES FÍSICO E SOCIAL, E A EXPANDIR OS RECURSOS COMUNITÁRIOS QUE PERMITEM ÀS PESSOAS APOIAREM-SE MUTUAMENTE NAS VÁRIAS DIMENSÕES DA SUA VIDA E NO DESENVOLVIMENTO DO SEU POTENCIAL MÁXIMO."


GOLDSTEIN E KICKBUSCH (1996)

ÚLTIMOS PROJETOS

Golegã
Portugal sem Diabetes

O QUE É?

O Projeto “Portugal sem Diabetes” consiste num projeto de intervenção na Diabetes no âmbito da prevenção primária. Consiste numa resposta a um dos desafios da Fundação Calouste Gulbenkian. Pretende ser um instrumento de divulgação de estratégias de intervenção nas populações de risco com vista ao diagnóstico precoce e à prevenção da Diabetes pela promoção da alteração dos estilos de vida.

 

O QUE FAZ?

Reduzir o número de pessoas que desenvolvem Diabetes, através de planos estratégicos de intervenção para promoção da saúde e redução de doenças como a Diabetes. Numa fase inicial do projeto, estabelecer os indicadores para avaliação da intervenção; elencar estratégias para produzir mudanças nos estilos de vida. E posteriormente, definir atividades integradas de prevenção da Diabetes na Comunidade e identificar os parceiros intervenientes.

 

A QUEM SE DESTINA?

A toda a população do Concelho, mas sobretudo à população ativa e mais de 45 anos.

 

QUE RESULTADOS FORAM ATINGIDOS?

O resultado atingido neste projeto foi o levantamento do numero de munícipes que apresentam um risco elevado de desenvolver Diabetes Tipo 2 nos próximos 10 anos (aplicação da ficha de avaliação do risco da Diabetes Tipo 2).

 

QUAIS AS PARECERIAS?

Associação Protetora de Diabéticos de Portugal, Unidade de Cuidados na Comunidade da Chamusca/Golegã.

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA?

Câmara Municipal da Golegã
Divisão de Intervenção Social  

T: 249 979 000
E: elsa.lourenco@cm-golega.pt

Associação Protetora de Diabéticos de Portugal

T: 21 381 6100
E: diabetes@apdp.pt

Unidade de Cuidados na Comunidade da Chamusca/Golegã

T: 249 769 176/3 ou 965 804 653
E: ucc.chamusca.coord@arslvt.min-saude.pt

Figueira da Foz
Mês do Coração – Maio

O que é?

Programa de atividades semanais, desenvolvidas ao longo do mês de Maio, desde 2012, dedicado à saúde cardiovascular, sensibilizando para o risco e para a emergência cardiovascular, para a importância de adoção de estilos de vida saudáveis e da correção dos fatores de risco modificáveis, contribuindo para a capacitação dos munícipes relativamente às suas escolhas quotidianas.

 

O que faz?

Dinamização de atividades que integram sessões de apresentação de diferentes temas no âmbito da saúde cardiovascular e sessões dinâmicas propiciadoras de atividade física. As sessões temáticas - de informação sobre saúde cardiovascular, fatores de risco e prevenção – contam com a participação das várias unidades de saúde, dos cuidados de saúde primários e hospitalares. É também abordada a importância da alimentação saudável, integrando sessões de showcooking. As sessões dinâmicas – visando o incentivo à atividade física, valorizando o património desportivo, natural e cultural local – são dinamizadas com a colaboração de diversos parceiros locais.

 

A quem se destina?

Público em geral.

 

Que resultados foram atingidos?

Ao longo dos anos verificou-se a participação de diferentes públicos, desde cidadãos/ãs interessados nestas matérias ou que foram cativados pela inovação e diversidade dos sucessivos programas de atividades, mas também utentes do Programa Municipal Qualidade de Vida, das diversas unidades de saúde locais e de instituições particulares de solidariedade social, abrangendo já mais de dois mil participantes.

 

Quais as parcerias?

Programa Municipal Figueira Cidade Saudável – Município da Figueira da Foz, Agrupamento de Centros de Saúde do Baixo Mondego - Unidades Funcionais da Figueira da Foz (URAP, UCC Farol do Mondego, USF Buarcos, USF São Julião, UCSP Figueira Urbana), Hospital Distrital da Figueira da Foz – VMER, Delegação Centro da Fundação Portuguesa de Cardiologia, Unidade de I&D do Departamento de Química e Física Molecular— Universidade de Coimbra, Mercado Municipal Engenheiro Silva, Núcleo Museológico do Sal, Arquivo Fotográfico, Programa Municipal Qualidade de Vida, Escola Profissional da Figueira da Foz, Agrupamento de Escolas do Paião, entre outros, contando com a colaboração de diversos parceiros locais, nomeadamente BioCorpo, Fitting Point e Tao – Centro de Yoga e Bem Estar.

 

Quais os contactos de referência?

Câmara Municipal da Figueira da Foz

Figueira Cidade Saudável – Programa Municipal
Edifício Paço de Tavarede
Largo do Paço, n.º 2 - Tavarede
3080-612 Figueira da Foz

 

T: +351 233 401 860
E: figueira.cidade.saudavel@cm-figfoz.pt

 

 

VER MAIS
44
MUNICÍPIOS
SAUDÁVEIS
.
Alfândega da Fé
.
Almada
.
Alvito
.
Amadora
.
Azambuja
.
Barrancos
.
Barreiro
.
Beja
.
Bragança
.
Castro Marim
.
Figueira da Foz
.
Golegã
.
Gondomar
.
Lagoa (Açores)
.
Lagoa (Algarve)
.
Lisboa
.
Loulé
.
Loures
.
Lourinhã
.
Lousã
.
Matosinhos
.
Miranda do Corvo
.
Montijo
.
Odemira
.
Odivelas
.
Oeiras
.
Palmela
.
Ponta Delgada
.
Portimão
.
Porto Santo
.
Ribeira Grande
.
Seixal
.
Serpa
.
Sesimbra
.
Setúbal
.
Soure
.
Tábua
.
Torres Vedras
.
Valongo
.
Viana do Alentejo
.
Viana do Castelo
.
Vidigueira
.
Vila Franca de Xira
.
Vila Real
 Um município saudável é 
 inclusivo, sensível e para 
 todos os cidadãos 
A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis é uma associação que tem como missão apoiar a divulgação, implementação e desenvolvimento do projeto Cidades Saudáveis nos municípios que pretendam assumir a promoção da saúde como uma prioridade da agenda dos decisores políticos.


^
v
PROJETOS

Projeto Figueira Respira Mais

 

O que é?

Projeto que consiste na prossecução de um conjunto de iniciativas articuladas entre as entidades parceiras, de forma a evitar a progressão da doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) na Figueira da Foz, sensibilizando a comunidade, promovendo a alteração de estilos de vida, pretendendo o diagnóstico, o tratamento de doentes e a reabilitação respiratória e ainda a investigação clínica.

 

O que faz?

- Prevenção da DPOC através de um programa de cessação tabágica, com ações de sensibilização e consultas de cessação tabágica;
- Diagnóstico precoce da DPOC, identificando grupos de risco, realizando espirometria e subsequente diagnóstico;
- Tratamento farmacológico adequado à sintomatologia do doente em fase estável e em agudização, articulando cuidados de saúde primários e cuidados de saúde hospitalares;
- Promoção da atividade física, realizando campanhas de sensibilização dos doentes, identificação de doentes com perfil adequado para integrar atividades físicas sem acompanhamento clínico e atividades na comunidade;
- Reabilitação respiratória para doentes sintomáticos, promovendo campanhas de sensibilização dos doentes e dos profissionais de saúde para a Reabilitação Respiratória, com implementação de programas de reabilitação respiratória hospitalar, no domicílio e na comunidade;
- Formação na área da prescrição da atividade física e reabilitação respiratória, promovendo a investigação científica clínica na área da DPOC e Reabilitação Respiratória.

 

A quem se destina?

População residente na área do Município da Figueira da Foz, com especial incidência nos grupos que apresentam maior risco de vir a desenvolver DPOC, bem como doentes já diagnosticados.

 

Que resultados foram atingidos?

O presente Projeto surge na continuidade do Projeto Figueira Respira, pretendendo-se:
- Diminuir o nº de fumadores;
- Aumentar o diagnóstico precoce da DPOC;
- Melhorar a articulação de cuidados de saúde e o tratamento farmacológico e não farmacológico;
- Promover a atividade física e a alteração dos estilos de vida dos doentes com DPOC;
- Implementar programas de reabilitação respiratória;
- Realizar formação na área de prescrição de atividade física e reabilitação respiratória.

 

Quais as parcerias?

Câmara Municipal de Figueira da Foz, Hospital Distrital da Figueira da Foz (HDFF), Agrupamento dos Centros de Saúde do Baixo Mondego – ARS Centro, IP (englobando as Unidades Funcionais da Figueira da Foz: USF São Julião, USF Buarcos, UCSP Figueira Norte, UCSP figueira Urbana, UCSP Figueira Sul e UCC Farol do Mondego), Escola Superior de Saúde – Universidade de Aveiro.

 

Quais os contactos de referência?

Hospital Distrital da Figueira da Foz
Rua do Hospital - Gala
3094-001- Figueira da Foz


T: 233 402 000
E: hdff@hdfigueira.min-saude.pt