Coordenação

JOAQUIM CARDADOR DOS SANTOS

Presidente do Conselho de Administração

 

MIRIEME FERREIRA

Coordenadora Técnica

VER MAIS
Ler + Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis
Ler + Coordenação
Ler + Rede de Cidades Saudáveis da OMS

Organograma
Órgão deliberativo, constituído por todos os associados. Integram, atualmente, a mesa da assembleia os municípios de Viana do Castelo, Odivelas e Miranda do Corvo.
Composto por um técnico de cada município associado.
Órgão executivo composto por cinco municípios eleitos pela assembleia intermunicipal. Actualmente composto pelo Seixal, Lisboa, Montijo, Oeiras e Palmela.
Estatutos

A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis rege-se pelos estatutos publicados no Diário da República – III Série (N.º 5/98 de 7 de janeiro de 1998). Estes estatutos sofreram alterações em escritura a dezembro de 2015, incluindo a alteração da designação da Associação.

DOWNLOAD DOS ESTATUTOS

Parcerias

Porque trabalhar em rede significa, entre outras coisas, potenciar as parcerias existentes, a Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis consolida-se no alargado leque de parceiros locais e (...)
VER MAIS
Alguns membros RPCS


VER MAIS



"UMA CIDADE SAUDÁVEL É AQUELA QUE ESTÁ CONTINUAMENTE A CRIAR E A DESENVOLVER OS SEUS AMBIENTES FÍSICO E SOCIAL, E A EXPANDIR OS RECURSOS COMUNITÁRIOS QUE PERMITEM ÀS PESSOAS APOIAREM-SE MUTUAMENTE NAS VÁRIAS DIMENSÕES DA SUA VIDA E NO DESENVOLVIMENTO DO SEU POTENCIAL MÁXIMO."


GOLDSTEIN E KICKBUSCH (1996)

ÚLTIMOS PROJETOS

Odivelas
Projeto de Intervenção no Pé Diabético – Prevenção e Controlo da Diabetes

O QUE É?

Projeto de Intervenção no Pé Diabético.

 

O QUE FAZ?

Realiza o atendimento especializado em Pé Diabético, incluindo rastreios, tratamentos de quiropodia, compensação de deformações, construção de suportes plantares, tratamento de lesões e otimização de terapêutica.

 

A QUEM SE DESTINA?

Utentes com Diabetes dos Centros de Dia e Lares da Rede Pública do Concelho de Odivelas.

 

QUAIS AS PARCERIAS?

Câmara Municipal de Odivelas, Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal.

 

QUE RESULTADOS FORAM ATINGIDOS?

Foram efetuados 123 atendimentos a utentes com risco elevado/moderado de desenvolver pé-diabético. 90 utentes rastreados; 71 utentes com tratamento especializado ao pé-diabético.
Profissionais de Técnicos/as e auxiliares dos Centros de Dia participantes nas ações de informação/sensibilização: 45.

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA?

Câmara Municipal de Odivelas
Gabinete de Saúde e Igualdade (GSI)
Avenida Amália Rodrigues, nº 27, 2.º Piso
Urbanização da Ribeirada
2675-432 Odivelas
T: 219 320 970
E: gsi@cm-odivelas.pt

 

Odivelas
Alimente a Sua Mente - Promoção da Saúde Mental e Alimentação Saudável

O QUE É?

Projeto que proporciona o desenvolvimento de um espaço de reflexão centrado nas temáticas das escolhas alimentares e seu impacto na saúde.

 

O QUE FAZ?

Este projeto resulta da articulação entre as áreas da Saúde Mental e Alimentação Saudável, através de sessões de sensibilização e informação de tipo participativo. No período entre sessões promoveu-se especificamente o consumo de alimentos saudáveis, através da utilização de metodologias ativas, tais como: elaboração de cartaz de alimentos, ida às compras e sessões criativas que incluíram a elaboração de textos e ilustrações alusivas ao tema. Como corolário, obteve-se a reflexão dos utentes acerca das questões que estes consideram mais relevantes em matéria de alimentação saudável, que resultou na criação de um roll-up/ cartaz, após validação técnica por parte da DGS/PNPAS e PNSM.

 

A QUEM SE DESTINA?

Utentes da Associação Comunitária de Saúde Mental de Odivelas (ACSMO) e do Centro Comunitário de Saúde Mental em Odivelas (CCSMO).

 

QUAIS AS PARCERIAS?

Câmara Municipal de Odivelas, Direção-Geral da Saúde.

 

QUE RESULTADOS FORAM ATINGIDOS?

Produção do Poster: Alimente a Saúde Mental
Envolveu duas instituições de saúde mental de Odivelas (ACSMO e CCSMO): cerca de 40 utentes e respetivas equipas técnicas.
Apoio institucional e validação técnica dos Programas Nacionais de Alimentação Saudável e de Saúde Mental (Direção-Geral da Saúde).

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA?

Câmara Municipal de Odivelas
Divisão de Desenvolvimento Desportivo
T: 219 320 990
E: desporto@cm-odivelas.pt

 

VER MAIS
57
MUNICÍPIOS
SAUDÁVEIS
.
Alfândega da Fé
.
Almada
.
Almodôvar
.
Alvito
.
Amadora
.
Amares
.
Avis
.
Azambuja
.
Barrancos
.
Barreiro
.
Beja
.
Braga
.
Bragança
.
Castro Marim
.
Coimbra
.
Cuba
.
Figueira da Foz
.
Golegã
.
Gondomar
.
Guarda
.
Lagoa (Açores)
.
Lagoa (Algarve)
.
Lisboa
.
Loulé
.
Loures
.
Lourinhã
.
Lousã
.
Maia
.
Matosinhos
.
Miranda do Corvo
.
Monchique
.
Monção
.
Montijo
.
Odemira
.
Odivelas
.
Oeiras
.
Palmela
.
Ponta Delgada
.
Portimão
.
Porto
.
Porto Santo
.
Póvoa de Lanhoso
.
Ribeira Grande
.
Santo Tirso
.
Seixal
.
Serpa
.
Sesimbra
.
Setúbal
.
Soure
.
Tábua
.
Torres Vedras
.
Valongo
.
Viana do Alentejo
.
Viana do Castelo
.
Vidigueira
.
Vila Franca de Xira
.
Vila Real
 Um município saudável é 
 inclusivo, sensível e para 
 todos os cidadãos 
A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis é uma associação que tem como missão apoiar a divulgação, implementação e desenvolvimento do projeto Cidades Saudáveis nos municípios que pretendam assumir a promoção da saúde como uma prioridade da agenda dos decisores políticos.


^
v
PROJETOS

Núcleo Museológico do Sal

 

O que é?

O Núcleo Museológico do Sal (NMSal) foi inaugurado a 17 de agosto de 2007, com o objetivo de interpretar, valorizar e difundir testemunhos singulares reportados à relação secular do Homem com o território das salinas do concelho da Figueira da Foz, situando-se na Salina Municipal do Corredor da Cobra, adquirida em 2000 com o intuito de promover a reativação e manutenção contínua da atividade salineira. Este complexo cultural e ambiental integra um Armazém de Sal, uma Rota Pedestre pelo salgado, uma Rota Fluvial pelo estuário do Rio Mondego e ainda um observatório de aves com um leitor de paisagem do território que o abraça.

 

O conceito geral do espaço baseia-se na ideia de que as salinas e o sal são uma atividade em que se cruzam múltiplos aspetos – históricos, etnográficos, paisagísticos, ambientais e económicos – explorados de forma integrada, sendo o NMSal um ponto âncora, tendo sido apresentada a candidatura do sal tradicional a património imaterial.

 

O que faz?

Sendo um espaço museológico interpretativo, assume-se como um centro de informação, educação e sensibilização de diversos públicos para a necessidade de preservação de uma atividade tradicional e de um produto artesanal, contribuindo assim, de forma integrada, para a valorização deste património como fator de desenvolvimento local sustentável.

 

É um centro local e nacional aberto à investigação e informação sobre a riqueza da biodiversidade do seu ecossistema-tipo e uma unidade didática de lazer e de interatividade.

 

É um espaço que proporciona aos diversos públicos que o visitam experiências únicas e particulares. O visitante é confrontado com a explanação de cinco grandes temas: O que é o Sal; O Sal na Natureza; História do Sal em Portugal; A Tecnologia do Sal na Figueira da Foz e O Ciclo de Produção; e As Salinas e a Conservação da Natureza.

 

Os visitantes têm ainda acesso a informação diversificada que consta do Roteiro sobre o NMSal e o salgado, bem como do Guia de Aves do Salgado da Figueira da Foz (pernilongos e flamingos, entre outras aves), podendo também percorrer a Rota das Salinas (circuito pedonal que pretende dotar o caminhante de informação adicional sobre a salicultura, os marnotos, o território e o ecossistema envolvente) e colher salicórnia (planta halófita que cresce nas salinas).

 

Em Agosto de 2015, o Núcleo Museológico do Sal inaugurou o primeiro “Pedarium” português, uma pequena infraestrutura sazonal destinada à utilização do sal tradicional como forma de terapia, saúde e bem-estar, que aproveita a tipologia das salinas e respeita, na sua totalidade, o meio ambiente, na medida em que o material utilizado foi apenas e somente a madeira de pinho não tratado, um elemento vulgarmente utilizado no salgado figueirense.

 

Existem também diversas outras atividades, sazonais, como a “safra” (reconstituição da recolha do sal), a “despesca” (apanha de peixe na salina), atividades que harmonizam a atividade física com os ecossistemas (caminhadas, passeios de kayak, yoga), showcooking com salicórnia, sessões de sensibilização sobre literacia em saúde e múltiplas iniciativas que constituem atividades “âncora” e articulam arte, cultura, gastronomia, ciência, saúde e bem-estar.

 

A quem se destina?

População em geral, incluindo visitantes, famílias e grupos organizados, mas também população escolar e população sénior, envolvendo ainda toda a comunidade local com ligação ao território em que se insere o NMSal.

 

Que resultados foram atingidos?

- Dinamização do território, construindo uma estratégia global e integrada, promovendo, difundindo e apoiando a reativação e a manutenção da atividade salineira e a coesão dos agentes locais.

- Valorização da importância do salgado, divulgação da utilização do sal tradicional, da flor de sal e da salicórnia, trabalhando estes produtos de forma articulada com os conceitos de saúde e de bem-estar, bem como atração de novos públicos e sensibilização para a conservação do ecossistema.

 

Quais as parcerias?

Sendo um equipamento municipal - criado no decurso das candidaturas aos projetos comunitários ALAS, SALAtlantis e Ecosal –ao longo dos anos foram sendo desenvolvidas múltiplas parcerias, com especial envolvimento da comunidade local, dos produtores de sal e dos marnotos (trabalhadores responsáveis pelas salinas), bem como dos agentes locais que de alguma forma têm tradicionalmente ligação ao salgado.

 

Os agentes culturais e turísticos, nomeadamente a hotelaria e a restauração, procuram também o NMSal, cada vez mais e de forma regular, para aqui desenvolverem atividades diversas (exposições, teatro e outras) e trazerem visitantes. Entre muitas outras parcerias, refere-se o meio académico, especialmente a Universidade de Aveiro e a Universidade de Coimbra, não só a crescente procura de temas e investigação no âmbito de teses de mestrado e de doutoramento, mas também com a recente e importante colaboração e participação do Marefoz e do Programa Ciência Viva.

 

Os agentes locais que promovem atividades nas áreas da saúde e bem-estar, reconhecendo o enorme potencial do território, desenvolvem diversas iniciativas em parceira com o NMSal, incluindo o Programa Municipal Figueira Cidade Saudável - Município da Figueira da Foz.

 

Quais os contactos de referência?

Núcleo Museológico do Sal
Armazéns de Lavos
Salina Municipal do Corredor da Cobra
3090-451 Lavos

 

T: 233 402 840

TLM: 966 344 488
E: nucleo.sal@cm-figfoz.pt