Coordenação

PAULO ALEXANDRE SILVA

Presidente do Conselho de Administração

 

MIRIEME FERREIRA

Coordenadora Técnica

VER MAIS
Ler + Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis
Ler + Coordenação
Ler + Organograma

Organograma
Órgão deliberativo, constituído por todos os associados. Integram, atualmente, a mesa da assembleia os municípios de Viana do Castelo, Odivelas e Miranda do Corvo.
Composto por um técnico de cada município associado.
Órgão executivo composto por cinco municípios eleitos pela assembleia intermunicipal. Atualmente composto pelo Seixal, Lisboa, Montijo, Setúbal e Torres Vedras.
Estatutos

A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis rege-se pelos estatutos publicados no Diário da República – III Série (N.º 5/98 de 7 de janeiro de 1998). Estes estatutos sofreram alterações em escritura a dezembro de 2015, incluindo a alteração da designação da Associação.

DOWNLOAD DOS ESTATUTOS

Parcerias

Porque trabalhar em rede significa, entre outras coisas, potenciar as parcerias existentes, a Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis consolida-se no alargado leque de parceiros locais e (...)
VER MAIS
Alguns membros RPCS


VER MAIS



"UMA CIDADE SAUDÁVEL É AQUELA QUE ESTÁ CONTINUAMENTE A CRIAR E A DESENVOLVER OS SEUS AMBIENTES FÍSICO E SOCIAL, E A EXPANDIR OS RECURSOS COMUNITÁRIOS QUE PERMITEM ÀS PESSOAS APOIAREM-SE MUTUAMENTE NAS VÁRIAS DIMENSÕES DA SUA VIDA E NO DESENVOLVIMENTO DO SEU POTENCIAL MÁXIMO."


GOLDSTEIN E KICKBUSCH (1996)

ÚLTIMOS PROJETOS

Montijo
UniBairro

O QUE É?

Projeto de intervenção psicossocial e comunitária implementado nos Bairros da Calçada, Barrosa e Serrano, ao abrigo do Programa Escolhas e do Alto Comissariado para as Migrações (ACM), tendo como objetivo a promoção do desenvolvimento comunitário e qualidade de vida das crianças e jovens residentes, particularmente as provenientes de contextos em situação de maior vulnerabilidade socioeconómica.

 

O QUE FAZ?

Este projeto pretende implementar um conjunto de 20 atividades que vão ser desenvolvidas na comunidade local por uma equipa pluridisciplinar até ao ano de 2026. Estrutura-se em duas áreas estratégicas de intervenção, as quais correspondem às seguintes medidas:
• Medida I - Educação, Formação e Emprego, contribuir para o sucesso escolar, diminuição do absentismo e abandono escolar; qualificação e formação profissional; promoção do emprego, empregabilidade e empreendedorismo num contexto de transição digital. Atividades: Saber +; Vamos conversar; Rádio do Bairro; Oficina das Profissões; ConTICo; Energia em Movimento; Brigada Ambiental do Montijo; Experiência Vocacional; Formação Profissional; Oficina Artística.
• Medida II - Dinamização Comunitária e Cidadania – contribuir para uma maior consciencialização dos direitos e deveres cívicos e comunitários, promoção das artes, do desporto, da cultura, da saúde, da educação não formal participação cidadã, formal e informal, com impacto no relacionamento interpessoal e intercultural, no bem-estar e na gestão do talento, bem como para o desenvolvimento do pensamento crítico e criativo. Atividades: Os Mestres da Culinária; Drama em Cena; Escola da Interculturalidade Global; Clube de Fotografia; Clube Cinema e Vídeo; Orquestra Nova Terra; Clube de Jogos; Oficina das Profissões; Eu na Comunidade.

 

A QUEM SE DESTINA? 

Crianças e Jovens entre os 6 e os 18 anos – Bairro da Calçada, Bairro da Barrosa e Bairro Serrano. Participantes diretos e participantes indiretos.

 

QUAIS OS RESULTADOS ATINGIDOS/PREVISTOS?

• Mudança de atitude e comportamentos perante a escola, melhoria de atitudes e comportamentos em relação à discriminação e desconstrução de preconceitos e estereótipos;
• Contribuir para a melhoria da qualidade de vida das crianças e jovens dos Bairro Calçada, Barrosa e Serrano, através do envolvimento e participação em atividades de valorização escolar, pessoal e social;
• Redução do absentismo escolar;
• Melhoria dos resultados escolares;
• Corresponsabilização dos pais no projeto educativo dos seus educandos;
• Promoção de competências em TIC;
• Envolvimento de crianças e jovens em atividades de valorização pessoal e social para: Treino de competências de desenvolvimento pessoal e criação de rotinas diárias; Promoção de competências de cidadania; Desenvolvimento de competências artísticas e/ou culturais; Desenvolvimento de sentimentos de pertença e coesão social.

 

QUAIS AS PARCERIAS?

• Câmara Municipal de Montijo (CMM) – Entidade Promotora;
• Banda Democrática 2 de Janeiro – Entidade com função de Gestora;
• Omnis Factum Associação;
• Companhia Mascarenhas-Martins;
• União de Freguesias do Montijo e Afonsoeiro (UFMA);
• Agrupamento de Escolas do Montijo (AEM);
• Comissão de Proteção de Crianças e Jovens do Montijo (CPCJ);

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA? 

Sede do Projeto UNIBAIRRO
Rua da Indústria Corticeira, n.º 54, Rch/esq. 2870 - Montijo
Técnico Responsável: Mariana Carrajola
T: 212317616
E: unibairro.e9g@gmail.com

Montijo
Saúde Global, Saúde Mental

O QUE É?

Este projeto visa promover a saúde e a qualidade de vida das comunidades. Está integrado no Plano de Ação da Operação Integrada Local da União de Freguesias de Pegões e Freguesia de Canha do PRR - Comunidades Desfavorecidas.

 

O QUE FAZ?

A equipa de saúde mental comunitária responde de forma eficaz às necessidades da população, melhorando o acesso e reforçando as respostas de proximidade. A intervenção comunitária proporciona um atendimento especializado e diferenciado centrado no utente, avaliando as necessidades, o diagnóstico, a consulta, a intervenção terapêutica, as visitas domiciliárias e a intervenção de reabilitação. São também trabalhados os seguintes três fatores de risco: sedentarismo, obesidade e a alimentação desequilibrada, promovendo a prática de exercício físico para a promoção da saúde física e mental.
Para combater o isolamento e exclusão social foi criado um serviço regular de proximidade e contacto com as pessoas nesta situação, através da sinalização que é feita por vários parceiros e serviços nas duas freguesias. O serviço pode ser prestado presencialmente ou por telefone através da equipa especializada. Estas situações podem ser apoiadas ou encaminhadas no caso de existir necessidade de intervenção e apoio psicossocial. Realiza ações de promoção da literacia em saúde dirigidas a não nacionais e profissionais de saúde para lidar com a diversidade, com um programa de capacitação e inovação na saúde.

 

A QUEM SE DESTINA? 

Residentes nas Freguesias de Canha e Pegões em situação de maior vulnerabilidade social, pessoas em situação de isolamento social, residentes não nacionais e profissionais de saúde.

 

QUAIS OS RESULTADOS ATINGIDOS/PREVISTOS?

• Promoção da saúde e da qualidade de vida das comunidades;
• Potenciamento de soluções de combate à pobreza e exclusão social;
• Criação de uma equipa de saúde mental de base comunitária;
• Ações de promoção da saúde de resposta às necessidades locais;
• Ações de capacitação em literacia em saúde para profissionais;
• Promoção de iniciativas de prevenção e combate ao isolamento social através do serviço de proximidade;

 

QUAIS AS PARCERIAS?

• Santa Casa da Misericórdia de Canha
• Associação para a Formação Profissional e Desenvolvimento do Montijo
• União de Freguesias de Pegões;
• Junta de Freguesia de Canha;
• ACES Arco Ribeirinho;
• Centro Hospitalar do Barreiro/Montijo.

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA? 

Divisão de Desenvolvimento Social e Promoção da Saúde
Rua José Joaquim Marques, n.º 124, 2870-348 Montijo
T: 21 231 7616/ 939 309 012
E: ddsps@mun-montijo.pt

VER MAIS
69
MUNICÍPIOS
SAUDÁVEIS
.
Alcochete
.
Alenquer
.
Alfândega da Fé
.
Almada
.
Almodôvar
.
Alvito
.
Amadora
.
Amares
.
Avis
.
Azambuja
.
Barrancos
.
Barreiro
.
Braga
.
Bragança
.
Calheta (Açores)
.
Castro Marim
.
Chamusca
.
Coimbra
.
Cuba
.
Figueira da Foz
.
Golegã
.
Gondomar
.
Grândola
.
Guarda
.
Lagoa (Açores)
.
Lagoa (Algarve)
.
Lisboa
.
Loulé
.
Loures
.
Lourinhã
.
Lousã
.
Maia
.
Matosinhos
.
Miranda do Corvo
.
Monchique
.
Monção
.
Montijo
.
Odemira
.
Odivelas
.
Oeiras
.
Palmela
.
Paredes
.
Penafiel
.
Pombal
.
Ponta Delgada
.
Portimão
.
Porto
.
Porto Santo
.
Póvoa de Lanhoso
.
Ribeira Grande
.
Santo Tirso
.
São Roque do Pico
.
Seixal
.
Serpa
.
Sesimbra
.
Setúbal
.
Soure
.
Tavira
.
Tábua
.
Torres Vedras
.
Valença
.
Valongo
.
Viana do Alentejo
.
Viana do Castelo
.
Vidigueira
.
Vila Franca de Xira
.
Vila Nova de Famalicão
.
Vila Pouca de Aguiar
.
Vila Real
 Um município saudável é 
 inclusivo, sensível e para 
 todos os cidadãos 
A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis é uma associação que tem como missão apoiar a divulgação, implementação e desenvolvimento do projeto Cidades Saudáveis nos municípios que pretendam assumir a promoção da saúde como uma prioridade da agenda dos decisores políticos.


^
v
PROJETOS

Orquestra Sinfónicas Juvenis da Amadora

 

O QUE É?

Projeto inovador em Portugal e na Europa, inspirado no "Sistema Nacional de Orquestras Infantis e Juvenis da Venezuela" e que se destina a facilitar o acesso à aprendizagem da música e da prática de orquestra.
Objetivos gerais:
- Capacitar as crianças e jovens através de um programa de excelência que utiliza a música como estratégia;
- Contribuir para o sucesso educativo e integração social das crianças e jovens;
- Proporcionar um ambiente favorável para a futura construção de projetos individuais de vida.
Objetivos específicos:
- Combater o insucesso e o abandono escolar precoce;
- Promover a auto-estima das crianças, jovens e suas famílias e o reconhecimento social das comunidades;
- Promover o trabalho de grupo, a disciplina, a responsabilidade e a tolerância;
- Promover o diálogo intercultural;
- Aproximar os pais do processo educativo dos seus filhos;
- Facilitar o acesso a uma formação musical, dificilmente acessível, em circunstâncias normais. 

 

O QUE FAZ?

Projeto que contemplou a criação e posteriormente manutenção do funcionamento de núcleos de orquestra nas escolas envolvidas, sendo a coordenação pedagógica e artística da responsabilidade da Associação das Orquestras Sinfónicas Juvenis Sistema Portugal (AOSJSP).

A nível metodológico, o projeto encontra-se estruturado em ciclos de três anos (primeiro ano iniciam pelos instrumentos de cordas, no segundo entram os sopros e posteriormente os de percussão). Os professores das da orquestra são contratados, após autorização do Ministério de Educação e Conservatório, pela própria Associação
O programa assenta numa metodologia de ensino instrumental em pequenos grupos, no trabalho em naipes e em orquestra. Os alunos têm uma carga horária de 7 horas semanais, sendo a frequência gratuita e os instrumentos disponibilizados.

Centra-se no esforço coletivo como fator–chave para a criação de uma forte motivação para o trabalho em equipa, onde valores como a cooperação, o rigor e o respeito pelos outros são fundamentais. Através da valorização das crianças e jovens, pretende-se igualmente, trabalhar as famílias fortalecendo a relação com a escola e a comunidade, numa lógica de promoção do sucesso educativo, da cidadania e do diálogo intercultural. 

 

A QUEM SE DESTINA?

Crianças e jovens com idades compreendidas entre os 6 e os 16 anos de idade que vivem na Amadora e que frequentam os agrupamentos de escolas, atualmente envolvidos no projeto. 

 

QUE RESULTADOS FORAM ATINGIDOS?

No Concelho da Amadora, estão a funcionar três núcleos e que em 2014/15 foram envolvidos 186 alunos e suas famílias.

O crescente número de alunos que passou a integrar a Orquestra, o registo de mudanças significativas ao nível do seu comportamento e melhorias ao nível dos resultados escolares associados ao crescente interesse e visível acompanhamento demonstrado pelas famílias, comprovam o sucesso deste projeto.

Tem igualmente contribuído para a atenuação do estigma associado a territórios, muitas vezes, denominados de “vulneráveis”.
A abordagem inovadora e valores subjacentes ao projeto, potenciou a possibilidade de se criar, na Amadora, um grupo de jazz (GeraJazz) formado por alguns dos alunos mais antigos do projeto e a Orquestra Municipal Geração Amadora (OMGA).

A música é sentida como um espaço de aprendizagem, de companheirismo, de convivência, de construção de identidades, de cooperação e de resolução de conflitos com repercussões ao nível da comunidade que acredita mais em si e da própria cidade que mostra ser capaz de desenvolver o seu capital humano.

A Orquestra Geração foi considerada uma boa prática europeia. A Finlândia implementou um programa similar, que contou com o suporte da Câmara Municipal da Amadora e da Escola de Música do Conservatório Nacional. O Município foi vencedor na categoria "Quadro de Excelência" e recebeu o prémio na entrega dos “Prémios de Reconhecimento à Educação 2010/11”, patrocinado pelo Ministério da Educação e Ciência.

 

A realização de apresentações e a participação em concertos constituem momentos privilegiados de diálogo intercultural, valorização da diversidade social e cultural, troca de experiências, participação e cidadania.

Neste contexto o projeto tornou-se uma oportunidade de aprendizagem e de criação de uma nova metodologia de intervenção. 

 

QUAIS AS PARCERIAS?

Agrupamentos de Escolas (Damaia; Miguel Torga e Almeida Garrett); Ministério da Educação e Ciência; Associação das Orquestras Sinfónicas Juvenis, Sistema Portugal (AOSJSP). 

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA?

Câmara Municipal da Amadora
Departamento de Educação e Desenvolvimento Sociocultural
Divisão de Intervenção Educativa
Rua Capitão Plácido de Abreu, n.º 4 - Venteira
2700-156 Amadora
T: 214 369 052
E: educa@cm-amadora.pt