Coordenação

JOAQUIM CARDADOR DOS SANTOS

Presidente do Conselho de Administração

 

MIRIEME FERREIRA

Coordenadora Técnica

VER MAIS
Ler + Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis
Ler + Coordenação
Ler + Rede de Cidades Saudáveis da OMS

Organograma
Órgão deliberativo, constituído por todos os associados. Integram, atualmente, a mesa da assembleia os municípios de Viana do Castelo, Odivelas e Miranda do Corvo.
Composto por um técnico de cada município associado.
Órgão executivo composto por cinco municípios eleitos pela assembleia intermunicipal. Actualmente composto pelo Seixal, Lisboa, Montijo, Oeiras e Palmela.
Estatutos

A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis rege-se pelos estatutos publicados no Diário da República – III Série (N.º 5/98 de 7 de janeiro de 1998). Estes estatutos sofreram alterações em escritura a dezembro de 2015, incluindo a alteração da designação da Associação.

DOWNLOAD DOS ESTATUTOS

Parcerias

Porque trabalhar em rede significa, entre outras coisas, potenciar as parcerias existentes, a Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis consolida-se no alargado leque de parceiros locais e (...)
VER MAIS
Alguns membros RPCS


VER MAIS



"UMA CIDADE SAUDÁVEL É AQUELA QUE ESTÁ CONTINUAMENTE A CRIAR E A DESENVOLVER OS SEUS AMBIENTES FÍSICO E SOCIAL, E A EXPANDIR OS RECURSOS COMUNITÁRIOS QUE PERMITEM ÀS PESSOAS APOIAREM-SE MUTUAMENTE NAS VÁRIAS DIMENSÕES DA SUA VIDA E NO DESENVOLVIMENTO DO SEU POTENCIAL MÁXIMO."


GOLDSTEIN E KICKBUSCH (1996)

ÚLTIMOS PROJETOS

Avis
Caminhadas

O QUE É?

Caminhar proporciona um convívio saudável entre os participantes, levando-os a conhecer/descobrir as várias localidades do concelho e as suas paisagens. Contribui não só para a promoção de saúde e de estilos de vida saudável como também para a promoção da saúde física e mental.

 

O QUE FAZ?

Realização de 13 caminhadas ao longo do ano, distribuídas pelas várias freguesias, em que se pretende desta forma, valorizar o património natural e histórico do concelho, bem como, o bem-estar físico, social e mental dos participantes.

 

A QUEM SE DESTINA? 

A toda a população.

 

QUE RESULTADOS FORAM ATINGIDOS?

Mais saúde, mais convívio, mais e melhor qualidade de vida e cada vez mais participantes.

 

QUAIS AS PARCERIAS?

Associações do Concelho de Avis;
Juntas de Freguesia do Concelho de Avis.

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA? 

Câmara Municipal de Avis
Divisão de Desenvolvimento Sociocultural e Turismo
T:242 410 088
E: ddsc@cm-avis.pt

 

Avis
Avis+

O QUE É?

É um programa do Município de Avis que pretende ocupar os jovens em atividades de interesse municipal, permitindo-lhes o contacto experimental com a vida profissional, despertando ou aprofundando as suas capacidades cívicas e de participação social, apoiando-os face às dificuldades do momento presente.

 

O QUE FAZ?

A colocação dos jovens no presente programa tem uma duração mínima de um e máxima de seis meses, eventualmente renovável por mais três meses.
Os jovens são ocupados no desenvolvimento de atividades nas seguintes áreas: educação, ciência, animação cultural, património, turismo, desporto, intervenção social, ambiente, proteção civil, apoio a idosos e crianças, manutenção de equipamentos e espaços públicos.
São conferidos os seguintes apoios: bolsa horária de montante a definir anualmente pelo Município e seguro de acidentes pessoais.

 

A QUEM SE DESTINA? 

Destina-se a jovens, residentes no concelho de Avis, à procura do primeiro emprego ou que estejam desempregados, com idades compreendidas entre os 18 e os 40 anos ou, no caso de integrarem famílias monoparentais ou serem portadores de deficiência, até aos 45 anos, inclusive.

 

QUE RESULTADOS FORAM ATINGIDOS?

Em 2018 participaram 20 jovens.

 

QUAIS AS PARCERIAS?

Câmara Municipal de Avis

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA? 

Câmara Municipal de Avis
Divisão de Desenvolvimento Sociocultural e Turismo
T:242 410 088
E: ddsc@cm-avis.pt | angela.marques@cm-avis.pt

 

VER MAIS
57
MUNICÍPIOS
SAUDÁVEIS
.
Alfândega da Fé
.
Almada
.
Almodôvar
.
Alvito
.
Amadora
.
Amares
.
Avis
.
Azambuja
.
Barrancos
.
Barreiro
.
Beja
.
Braga
.
Bragança
.
Castro Marim
.
Coimbra
.
Cuba
.
Figueira da Foz
.
Golegã
.
Gondomar
.
Guarda
.
Lagoa (Açores)
.
Lagoa (Algarve)
.
Lisboa
.
Loulé
.
Loures
.
Lourinhã
.
Lousã
.
Maia
.
Matosinhos
.
Miranda do Corvo
.
Monchique
.
Monção
.
Montijo
.
Odemira
.
Odivelas
.
Oeiras
.
Palmela
.
Ponta Delgada
.
Portimão
.
Porto
.
Porto Santo
.
Póvoa de Lanhoso
.
Ribeira Grande
.
Santo Tirso
.
Seixal
.
Serpa
.
Sesimbra
.
Setúbal
.
Soure
.
Tábua
.
Torres Vedras
.
Valongo
.
Viana do Alentejo
.
Viana do Castelo
.
Vidigueira
.
Vila Franca de Xira
.
Vila Real
 Um município saudável é 
 inclusivo, sensível e para 
 todos os cidadãos 
A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis é uma associação que tem como missão apoiar a divulgação, implementação e desenvolvimento do projeto Cidades Saudáveis nos municípios que pretendam assumir a promoção da saúde como uma prioridade da agenda dos decisores políticos.

Notícias

Reunião Anual das Redes Nacionais Europeias de Cidades Saudáveis da OMS

 

 

A Rede Europeia de Cidades Saudáveis da OMS entrou na VII Fase (2019-2024) deste movimento em janeiro de 2019. Ao longo dos 31 anos de existência até hoje, a Rede Europeia de Cidades Saudáveis da OMS reuniu mais de 100 cidades e aproximadamente 30 redes nacionais credenciadas para fortalecer cidades saudáveis. O sucesso deste movimento na Região Europeia da OMS tem sido observado a nível global e existe um apelo para que a Rede Europeia de Cidades Saudáveis da OMS compartilhe o seu conhecimento, operações e experiências com os parceiros envolvidos nos movimentos das Cidades Saudáveis em outras regiões da OMS.

 

A VII Fase é guiada por uma visão delineada no Consenso de Autarcas de Copenhaga: Cidades Mais Saudáveis e Felizes para Todos, e uma estratégia operacional delineada na Carta de Belfast para Cidades Saudáveis: Operacionalizando o Consenso de Autarcas de Copenhaga.

 

Nos dias 29, 30 e 31 de maio, Lisboa acolheu a Reunião Anual das Redes Nacionais Europeias de Cidades Saudáveis da OMS, numa organização conjunta entre o Município de Lisboa, a Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis e o Gabinete Regional da Europa da OMS. Este encontro reuniu representantes políticos e coordenadores de redes de Cidades Saudáveis nacionais, representantes dos ministérios da saúde dos Estados Membros Europeus da OMS, contrapartes nacionais da OMS e organizações nacionais de saúde, pontos focais técnicos, especialistas técnicos da OMS e representantes do movimento de cidades saudáveis em outras regiões da OMS. No total estiveram presentes mais de 100 pessoas de 30 países, incluindo representantes técnicos e políticos de 21 municípios portugueses, membros da Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis.

 

Os participantes da reunião exploraram formas de implementar os planos e prioridades da VII Fase da Rede Europeia de Cidades Saudáveis da OMS, conforme descrito na Carta de Belfast para Cidades Saudáveis e a estrutura de implementação da VII Fase, e discutiram e planearam formas de compartilhar as abordagens e lições aprendidas nos 31 anos do movimento Cidades Saudáveis.

 

A reunião teve quatro objetivos principais:
(1) realizar uma análise da situação das redes nacionais na Região Europeia no contexto dos objetivos estratégicos, metas e estrutura de implementação da VII Fase;
(2) identificar exemplos de boas práticas e formas de reforçar a sinergia e a coerência entre redes e contrapartes nacionais como parte da implementação da VII Fase;
(3) compartilhar exemplos de boas práticas e lições aprendidas, e discutir maneiras de fortalecer apoio científico e técnico às redes nacionais; e
(4) discutir a criação de um plano de ação e um quadro de prestação de contas e indicadores para redes nacionais usando exercícios destinados a oferecer formação em liderança.

 

Na Foto:

Manuel Grilo, vereador da Câmara Municipal de Lisboa

Raquel Duarte, Secretária de Estado da Saúde

Joaquim Santos, presidente do Conselho de Administração da Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis e presidente da Câmara Municipal do Seixal

 

 

Na Foto:

Joaquim Santos, presidente do Conselho de Administração da Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis e presidente da Câmara Municipal do Seixal

No fundo:

Manuel Grilo, vereador da Câmara Municipal de Lisboa

Professor Richard Aldersdale, consultor da OMS

Monika Kosinska, ponto focal da Rede Europeia de Cidades Saudáveis da OMS

Raquel Duarte, Secretária de Estado da Saúde

 

 

 

Na Foto:

Representantes dos municípios da Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis

 

 


Na Foto:

Participantes da Reunião Anual das Redes Nacionais Europeias de Cidades Saudáveis da OMS


LISTA DE NOTÍCIAS