Coordenação

PAULO ALEXANDRE SILVA

Presidente do Conselho de Administração

 

MIRIEME FERREIRA

Coordenadora Técnica

VER MAIS
Ler + Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis
Ler + Coordenação
Ler + Rede de Cidades Saudáveis da OMS

Organograma
Órgão deliberativo, constituído por todos os associados. Integram, atualmente, a mesa da assembleia os municípios de Viana do Castelo, Odivelas e Miranda do Corvo.
Composto por um técnico de cada município associado.
Órgão executivo composto por cinco municípios eleitos pela assembleia intermunicipal. Atualmente composto pelo Seixal, Lisboa, Montijo, Setúbal e Torres Vedras.
Estatutos

A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis rege-se pelos estatutos publicados no Diário da República – III Série (N.º 5/98 de 7 de janeiro de 1998). Estes estatutos sofreram alterações em escritura a dezembro de 2015, incluindo a alteração da designação da Associação.

DOWNLOAD DOS ESTATUTOS

Parcerias

Porque trabalhar em rede significa, entre outras coisas, potenciar as parcerias existentes, a Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis consolida-se no alargado leque de parceiros locais e (...)
VER MAIS
Alguns membros RPCS


VER MAIS



"UMA CIDADE SAUDÁVEL É AQUELA QUE ESTÁ CONTINUAMENTE A CRIAR E A DESENVOLVER OS SEUS AMBIENTES FÍSICO E SOCIAL, E A EXPANDIR OS RECURSOS COMUNITÁRIOS QUE PERMITEM ÀS PESSOAS APOIAREM-SE MUTUAMENTE NAS VÁRIAS DIMENSÕES DA SUA VIDA E NO DESENVOLVIMENTO DO SEU POTENCIAL MÁXIMO."


GOLDSTEIN E KICKBUSCH (1996)

ÚLTIMOS PROJETOS

Tábua
GIAV – Gabinete Intermunicipal de Apoio à Vitima

O QUE É?

O Projeto “Beira Serra: Sim à Igualdade. Não à Violência!” implementado na Região da Beira Serra tem como objetivo dotar este território com uma estrutura de acompanhamento e apoio diferenciado e qualificado às vítimas de Violência Doméstica, traduzida num Gabinete intermunicipal de Apoio à Vítima, que funciona com uma equipa técnica dedicada em exclusivo e em permanência e dotada de competências específicas para responder a estas problemáticas.

 

O QUE FAZ?

Faculta respostas de emergência;
• Cooperação para a proteção das vítimas;
• Realiza um apoio e acompanhamento célere, sistemático e de qualidade;
• Reduzir o impacto da violência;
• Modificar padrões socioculturais enraizados;
• Estabelecer proximidade com a comunidade, entidades locais e de primeira linha;
• Promover uma maior responsabilidade sobre o papel a desenvolver por cada cidadão.

 

A QUEM SE DESTINA?

Todas as Pessoas residentes nos concelhos da Beira Serra – Arganil, Gois, Oliveira do Hospital e Tábua.

 

QUE RESULTADOS FORAM ATINGIDOS?

Constituição da Equipa, Assinatura Protocolos de parceria, intervenção ao nível de atividades de prevenção nos quatro concelhos. Intervenção em 20 situações de VD.

 

QUAIS AS PARCERIAS?

Câmara Municipal de Tábua, GNR, Tribunais, Segurança Social, Saúde, Juntas de Freguesia, Escolas, etc.

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA?

Câmara Municipal de Tábua
Praça da República 3420-308 | Tábua
T: (+351) 235410340 | F: (+351) 235410349
E: geral@cm-tabua.pt

Gabinete Ação Social
T: 913 452 658
E: social@cm-tabua.pt

Tábua
Tábua de Igualdade(s)

O QUE É?

A Tábua de Igualdade(s) é um projeto que tem como objetivos principais a promoção da igualdade entre Homens e Mulheres, combatendo a Discriminação em razão do sexo nas políticas e na ações, contribuindo para uma educação livre de estereótipos de Género; sensibilização e prevenção todas a formas de contra as mulheres e violência doméstica pretendendo erradicar a tolerância social às várias manifestações da VMVD, conscientizando sobre os seus impactos e promovendo uma cultura de não-violência, de direitos humanos, de igualdade e não discriminação, bem como a promoção da territorialização da Estratégia Nacional para a Igualdade e a Não Discriminação 2018 -2030 - Portugal + Igual, na sua plenitude.

 

O QUE FAZ?

Dinamização de atividades diversificadas que contribuam para o cumprimento dos objetivos acima mencionados.

 

A QUEM SE DESTINA?

Destina-se a todas as pessoas do Concelho de Tábua, sendo algumas atividades mais direcionadas a certo tipo de públicos como por exemplo a comunidade escolar.

 

QUE RESULTADOS FORAM ATINGIDOS?

Nos anos 2020 (870), 2021 (1760) e até novembro de 2022 (350), foi alcance da realização da Tábua de Igualdade(s) no concelho.

 

QUAIS AS PARCERIAS?

Câmara Municipal de Tábua, CIG - Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género; CITE – Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego; Juntas/Uniões de Freguesia; interlocutores/as do concelho.

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA?

Câmara Municipal de Tábua
Praça da República 3420-308 | Tábua
T: (+351) 235410340 | F: (+351) 235410349
E: geral@cm-tabua.pt

Equipa para a Igualdade na Vida Local
E: eivl@cm-tabua.pt 

VER MAIS
66
MUNICÍPIOS
SAUDÁVEIS
.
Alenquer
.
Alfândega da Fé
.
Almada
.
Almodôvar
.
Alvito
.
Amadora
.
Amares
.
Avis
.
Azambuja
.
Barrancos
.
Barreiro
.
Beja
.
Braga
.
Bragança
.
Calheta (Açores)
.
Castro Marim
.
Chamusca
.
Coimbra
.
Cuba
.
Figueira da Foz
.
Golegã
.
Gondomar
.
Grândola
.
Guarda
.
Lagoa (Açores)
.
Lagoa (Algarve)
.
Lisboa
.
Loulé
.
Loures
.
Lourinhã
.
Lousã
.
Maia
.
Matosinhos
.
Miranda do Corvo
.
Monchique
.
Monção
.
Montijo
.
Odemira
.
Odivelas
.
Oeiras
.
Palmela
.
Penafiel
.
Pombal
.
Ponta Delgada
.
Portimão
.
Porto
.
Porto Santo
.
Póvoa de Lanhoso
.
Ribeira Grande
.
Santo Tirso
.
São Roque do Pico
.
Seixal
.
Serpa
.
Sesimbra
.
Setúbal
.
Soure
.
Tavira
.
Tábua
.
Torres Vedras
.
Valongo
.
Viana do Alentejo
.
Viana do Castelo
.
Vidigueira
.
Vila Franca de Xira
.
Vila Nova de Famalicão
.
Vila Real
 Um município saudável é 
 inclusivo, sensível e para 
 todos os cidadãos 
A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis é uma associação que tem como missão apoiar a divulgação, implementação e desenvolvimento do projeto Cidades Saudáveis nos municípios que pretendam assumir a promoção da saúde como uma prioridade da agenda dos decisores políticos.

Iniciativas

A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis promove anualmente um conjunto de iniciativas que dão a conhecer o trabalho que desenvolve, ao mesmo tempo que estreita a cooperação entre os municípios associados e parceiros, promovendo a troca de experiências e de boas práticas em matéria de promoção da saúde.



Atlas da Saúde da Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis

A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis (RPMS) aliou-se à Equipa de Investigação em Geografia da Saúde da Universidade de Coimbra, coordenado pela Professora Doutora Paula Santana (GIGS/CEGOT-UC), para o desenvolvimento do projeto Atlas de Saúde, com o objetivo de caracterizar o estado de saúde e dos seus determinantes nos municípios da RPMS. Pretende-se com este a criação de uma plataforma de conhecimento, com dados georreferenciados e atualizáveis ao longo dos anos, que se constitua como ferramenta de suporte à elaboração do Perfil de Saúde Municipal e da Carta de Saúde Municipal e à definição de estratégias políticas municipais.

A elaboração do Atlas de Saúde compreende uma fase de implementação e uma primeira fase de monitorização, no decorrer de um período de 42 meses no total. No mesmo período, irão realizar-se ações de disseminação dos resultados do projeto, nomeadamente a publicação do Atlas (formato digital e/ou em papel), bem como de outros conteúdos informativos relevantes (eg. fact sheets, policy briefs).

A primeira fase do projeto irá englobar a Identificação, seleção, recolha de dados, análise e tratamento estatístico de indicadores. Irá ser feita a recolha de indicadores na literatura e em documentos chave para a definição e avaliação de Município Saudável, enquadrando os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 das Nações Unidas e a visão para o futuro do Movimento Cidades Saudáveis da OMS assente nos pilares Pessoas, Lugar, Participação, Prosperidade, Paz e Planeta.

Irá realizar-se também um processo participativo para selecionar as dimensões e os respetivos indicadores, de resultados em saúde e determinantes da saúde, que são relevantes para avaliar o desempenho dos municípios da RPMS e para monitorizar políticas públicas com impacto na saúde. Após a recolha de indicadores irá realizar-se uma análise e tratamento estatístico dos indicadores selecionados, sendo o levantamento dos dados estatísticos feito junto de fontes oficiais (eg. INE, APA, IPMA, DGAI, MTSS, ANSR, DGS, IP-ACSS, INSA) e das Câmaras Municipais dos municípios da RPMS.

A segunda fase do projeto engloba a construção e aplicação de um índice multidimensional de saúde com capacidade para avaliar a saúde da população dos municípios da RPMS em múltiplas dimensões, tendo por base a agregação dos indicadores recolhidos.

O objetivo final do projeto é a criação de uma plataforma tecnológica assente em sistemas de informação geográfica, de acesso público, para disponibilização online do Atlas de Saúde da RPMS, que será monitorizada e atualizada periodicamente.


LISTA DE INICIATIVAS