Coordenação

PAULO ALEXANDRE SILVA

Presidente do Conselho de Administração

 

MIRIEME FERREIRA

Coordenadora Técnica

VER MAIS
Ler + Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis
Ler + Coordenação
Ler + Organograma

Organograma
Órgão deliberativo, constituído por todos os associados. Integram, atualmente, a mesa da assembleia os municípios de Viana do Castelo, Odivelas e Miranda do Corvo.
Composto por um técnico de cada município associado.
Órgão executivo composto por cinco municípios eleitos pela assembleia intermunicipal. Atualmente composto pelo Seixal, Lisboa, Montijo, Setúbal e Torres Vedras.
Estatutos


Deprecated: Function split() is deprecated in /home/rportuguesa/public_html/_mvc/widgets/hp_apresentacao.wgt.php on line 59
A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis rege-se pelos estatutos publicados no Diário da República – III Série (N.º 5/98 de 7 de janeiro de 1998). Estes estatutos sofreram alterações em escritura a dezembro de 2015, incluindo a alteração da designação da Associação.


DOWNLOAD DOS ESTATUTOS

Parcerias

Porque trabalhar em rede significa, entre outras coisas, potenciar as parcerias existentes, a Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis consolida-se no alargado leque de parceiros locais e (...)
VER MAIS
Alguns membros RPCS


VER MAIS



"UMA CIDADE SAUDÁVEL É AQUELA QUE ESTÁ CONTINUAMENTE A CRIAR E A DESENVOLVER OS SEUS AMBIENTES FÍSICO E SOCIAL, E A EXPANDIR OS RECURSOS COMUNITÁRIOS QUE PERMITEM ÀS PESSOAS APOIAREM-SE MUTUAMENTE NAS VÁRIAS DIMENSÕES DA SUA VIDA E NO DESENVOLVIMENTO DO SEU POTENCIAL MÁXIMO."


GOLDSTEIN E KICKBUSCH (1996)

ÚLTIMOS PROJETOS

Santo Tirso
Consultas de Educação Alimentar

 

O QUE É?

 

As consultas de educação alimentar têm como objetivo a promoção de hábitos alimentares saudáveis e foram criadas após a perceção de erros e dúvidas acerca de alimentação junto de beneficiários de programas em que o Município participa.

 

 

 

O QUE FAZ?

 

Contactar de forma mais próxima com os/as beneficiários/as dos programas em que a autarquia participa, aconselhar individualmente assim como esclarecer as dúvidas que possam existir destes mesmo beneficiários/as.

 

 

 

A QUEM SE DESTINA?

 

Beneficiários de programas em que a autarquia colabora, pessoas residentes em habitações municipais e outros casos cuja necessidade seja diagnosticada pela Divisão de Ação Social.

 

 

 

QUAIS OS RESULTADOS ATINGIDOS/ESPERADOS?

 

À data (julho 2023) estão em acompanhamento nutricional 15 munícipes e em 2022 foram realizadas 3 ações de acompanhamento a 92 munícipes.

 

 

 

QUAIS AS PARCERIAS?

 

Atividade interna

 

 

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA?

 

Câmara Municipal de Santo Tirso
Praça 25 de Abril
4780-373 Santo Tirso
T: 252 830 400
E: santotirso@cm-stirso.pt


Santo Tirso
Literacia em Saúde

O QUE É?

Realização de ações de sensibilização, rastreio e formação em diferentes áreas da saúde e com diferentes destinatários, de forma periódica (trimestral)

 

O QUE FAZ?

Aumentar a literacia em saúde e consciencializar para a autoproteção e autonomia para a tomada de decisão com vista à promoção da saúde.

 

A QUEM SE DESTINA?

População em geral (sobretudo os mais vulneráveis).

 

QUAIS OS RESULTADOS ATINGIDOS/ESPERADOS?

As avaliações das ações implementadas são positivas.

 

QUAIS AS PARCERIAS?

Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS); Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Santo Tirso/Trofa; Centro Hospitalar do Médio Ave (CHMA); Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto; Liga dos Amigos do Hospital de Santo Tirso (LAHST); Liga Portuguesa contra o Cancro (LPCC) Núcleo Regional Norte, Associações de doentes, entre outras.

 

QUAIS OS CONTACTOS DE REFERÊNCIA?

Câmara Municipal de Santo Tirso
Praça 25 de Abril
4780-373 Santo Tirso
T: 252 830 400
E: santotirso@cm-stirso.pt

VER MAIS
69
MUNICÍPIOS
SAUDÁVEIS
.
Alcochete
.
Alenquer
.
Alfândega da Fé
.
Almada
.
Almodôvar
.
Alvito
.
Amadora
.
Amares
.
Avis
.
Azambuja
.
Barrancos
.
Barreiro
.
Braga
.
Bragança
.
Calheta (Açores)
.
Castro Marim
.
Chamusca
.
Coimbra
.
Cuba
.
Figueira da Foz
.
Golegã
.
Gondomar
.
Grândola
.
Guarda
.
Lagoa (Açores)
.
Lagoa (Algarve)
.
Lisboa
.
Loulé
.
Loures
.
Lourinhã
.
Lousã
.
Maia
.
Matosinhos
.
Miranda do Corvo
.
Monchique
.
Monção
.
Montijo
.
Odemira
.
Odivelas
.
Oeiras
.
Palmela
.
Paredes
.
Penafiel
.
Pombal
.
Ponta Delgada
.
Portimão
.
Porto
.
Porto Santo
.
Póvoa de Lanhoso
.
Ribeira Grande
.
Santo Tirso
.
São Roque do Pico
.
Seixal
.
Serpa
.
Sesimbra
.
Setúbal
.
Soure
.
Tavira
.
Tábua
.
Torres Vedras
.
Valença
.
Valongo
.
Viana do Alentejo
.
Viana do Castelo
.
Vidigueira
.
Vila Franca de Xira
.
Vila Nova de Famalicão
.
Vila Pouca de Aguiar
.
Vila Real
 Um município saudável é 
 inclusivo, sensível e para 
 todos os cidadãos 
A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis é uma associação que tem como missão apoiar a divulgação, implementação e desenvolvimento do projeto Cidades Saudáveis nos municípios que pretendam assumir a promoção da saúde como uma prioridade da agenda dos decisores políticos.

Iniciativas

A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis promove anualmente um conjunto de iniciativas que dão a conhecer o trabalho que desenvolve, ao mesmo tempo que estreita a cooperação entre os municípios associados e parceiros, promovendo a troca de experiências e de boas práticas em matéria de promoção da saúde.



Acordo de Colaboração Técnica com Redes do Brasil

ACORDO DE COLABORAÇÃO TÉCNICA ENTRE A REDE PORTUGUESA DE MUNICÍPIOS SAUDÁVEIS, A REDE DE MUNICÍPIOS POTENCIALMENTE SAUDÁVEIS (BRASIL) E A REDE PERNAMBUCANA DE MUNICÍPIOS SAUDÁVEIS (BRASIL)

Conscientes da importância de parcerias internacionais, pretende-se desenvolver laços de cooperação entre redes de Municípios Saudáveis de língua portuguesa, partilhando objetivos estratégicos, nomeadamente a nível das políticas públicas na área da saúde e dos determinantes, e a prestação de cuidados às populações mais vulneráveis, evidenciando uma abordagem promotora de equidade em saúde.

Pretende-se que a colaboração entre a Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis, a Rede de Municípios Potencialmente Saudáveis (Brasil) e a Rede Pernambucana de Municípios Saudáveis (Brasil) se defina através das seguintes estratégias:

A. Disseminar a boa prática da Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis no apoio ao processo de consolidação da Rede Nacional de Municípios Saudáveis do Brasil, incluindo o estabelecimento do comité executivo da Rede Brasileira de Municípios Saudáveis;

B. Desenvolvimento de uma Federação Internacional de Municípios Saudáveis de Língua Portuguesa, que congregue o movimento das Cidades Saudáveis de Portugal e do Brasil;

C. Recolha e partilha de boas práticas, projetos e iniciativas desenvolvidos pelos municípios membros das respetivas redes nacionais, nas áreas de atuação do projeto Cidades Saudáveis, com especial enfoque na Saúde em Todas as Políticas, nomeadamente de equidade em saúde, de inclusão social, de estilos de vida saudáveis, de ambientes promotores de saúde, de promoção da saúde mental, de planeamento urbano saudável e sustentável, entre outros;

D. Desenvolvimento de ações conjuntas, entre Redes e/ou em parceria com municípios membros;

E. Apoio no desenvolvimento de instrumentos de diagnóstico e planeamento em saúde e de desenvolvimento territorial, sustentados em princípios e valores da promoção da saúde, no âmbito do projeto Cidades Saudáveis;

F. Partilha de conhecimentos e suporte a processos de monitorização, avaliação e planeamento estratégico em saúde;

G. Criação de um comité de acompanhamento do desenvolvimento de projetos e políticas públicas que promovam a intersetorialidade e a participação social no contexto das Redes Nacionais intervenientes;

H. Promoção de encontros temáticos bilaterais envolvendo peritos nas matérias da saúde pública, promoção da saúde, planeamento urbano e territorial, desenvolvimento sustentável e áreas afins;

I. A cooperação e parceria dos municípios membros das Redes Nacionais intervenientes rege-se pelos termos deste Acordo de Cooperação.

Este Acordo de Colaboração Técnica pretende ainda sustentar o desenvolvimento futuro de um acordo para a criação da Federação Internacional de Municípios Saudáveis de Língua Portuguesa, celebrado por representantes políticos e/ou técnicos das Redes Nacionais intervenientes.

O Acordo de Colaboração foi assinado pelos coordenadores técnicos das Redes mencionadas, no dia 23 de junho de 2023.

O documento deste Acordo poderá ser consultado no link em baixo.

Documentos

LISTA DE INICIATIVAS