FAQs
ver
Como pode o meu município tornar-se parceiro da Rede Portuguesa de Cidades Saudáveis?

 

A adesão à Rede Portuguesa de Cidades Saudáveis constitui uma decisão política que deve consubstanciar-se nos seguintes requisitos:

 

- Enviar uma carta de intenção;

 

- Proceder à assinatura de uma declaração de compromisso:

 

- Elaborar, a médio prazo, o Perfil de Saúde e o Plano de Desenvolvimento de Saúde do Município.

ver
Que ganhos advêm da adesão a esta Rede?

 

São muitos os benefícios resultantes de um trabalho em rede:

 

- Troca de conhecimentos, fundamental para o planeamento estratégico de acções integradas;

 

- Abordagem intersectorial dos problemas;

 

- Desenvolvimento de capacidades e trabalho conjunto;

 

- Programação e concretização de acções inovadoras que abordem todos os aspectos da saúde e da qualidade de vida;

 

- Cooperação institucional;

 

- Estimulo à criatividade;

 

- Desenvolvimento de planos estratégicos de suporte e instrumentalização de políticas com vista à melhoria da qualidade de vida das comunidades;

 

- Construção de uma visão partilhada para os municípios, com um Plano de Desenvolvimento de Saúde e trabalho em áreas especificas;

 

- Definição e construção de ferramentas de suporte à avaliação e monitorização dos ganhos em saúde;

 

- Parcerias institucionais, nas áreas dos condicionantes sociais da saúde, designadamente, com a Direcção-Geral da Saúde, com a Escola Nacional de Saúde Pública, entre outras;

 

- Troca de experiências e de conhecimentos com as restantes cidades da Europa que Integram a REDE das Redes Nacionais de Cidades Saudáveis da OMS;

 

- Parceria estabelecida com a OMS, potenciando a abordagem holística das cidades saudáveis e usufruindo, simultaneamente, do seu Know-how, em matéria de temas transversais aos problemas que as cidades da Europa enfrentam na generalidade: exclusão social, toxicodependências, pobreza, mutações sociais, desemprego, SIDA, degradação ambiental, entre outros.

ver
O que é uma Cidade Saudável?

 

Uma Cidade Saudável é:

 

- Aquela que coloca a saúde e o bem-estar dos cidadãos no centro do processo de tomada de decisões;

 

- Aquela que procura melhorar o bem-estar físico, mental, social e ambiental dos que nela vivem e trabalham;

 

- Não é necessariamente aquela que atingiu um determinado estado de saúde, mas está consciente de que a promoção da saúde é um processo e como tal trabalha no sentido da sua melhoria.